Psicologia Positiva e o Mundo Corporativo: Entenda a conexão.

Like Melon > Gestão e Psicologia Positiva  > Psicologia Positiva e o Mundo Corporativo: Entenda a conexão.
psicologia positiva o que é

Psicologia Positiva e o Mundo Corporativo: Entenda a conexão.

A psicologia positiva é um conceito de grande relevância para profissionais da área que atuam no mundo corporativo.

 

A necessidade das empresas em criar um ambiente feliz para os colaboradores, faz da psicologia positiva uma importante aliada.

 

O que é psicologia positiva?

Durante muito tempo a psicologia foi utilizada como uma ferramenta para entender as emoções negativas do ser humano.

 

Dores emocionais, feridas, tristezas, sensação de abandono e luto eram algumas das causas estudadas.

 

Frutos dessas vivências, a depressão, a ansiedade e os pensamentos negativos eram o foco da psicologia.

 

Entretanto, com o passar dos tempos, os estudos foram se movendo para outras áreas do comportamento humano.

 

Desta forma, a busca pela felicidade do homem tornou-se o ponto focal das pesquisas sobre saúde mental.

  • A tristeza deu lugar à alegria;
  • A depressão à felicidade;
  • A rejeição ao pertencimento;
  • O individualismo à colaboração.

 

Fundamentados nas teorias de Abraham Maslow, outros teóricos desenvolveram o conceito da psicologia positiva.

 

Entre eles estão Martin Seligman, conhecido como o pai da psicologia positiva, e Mihaly Csikszentmihalyi.

 

De acordo com os professores, “a psicologia positiva é definida como a ciência que estuda a experiência subjetiva positiva”.

 

Esse campo de estudo contribui para o entendimento e o desenvolvimento daquilo que pode fazer o homem prosperar e ser feliz.

 

Ainda de acordo com eles, a psicologia positiva aborda “as potencialidades e virtudes humanas, e as instituições que promovem a qualidade de vida”.

 

A intenção dos estudos de Seligman e Csikszentmihalyi era a compreensão das emoções positivas de um ponto de vista científico.

 

Neste sentido, é possível compreender que a psicologia positiva não se configura como uma abordagem teórico-prática.

 

Antes, ela é, na verdade, uma filosofia, uma conduta ou um conceito que o psicólogo pode lançar mão para exercer seu trabalho.

 

A psicologia positiva no contexto organizacional

Sem dúvida, uma das experiências mais importantes que temos em vida é o trabalho, a nossa profissão.

 

São horas e horas investidas no local de trabalho, dedicando-se por anos a fio a uma função que escolhemos para a vida.

É comum observarmos muita gente passando mais horas no escritório, no comércio ou na fábrica do que em casa.

 

O profissional que pratica horas extras e vende suas férias deu origem ao termo workaholic, ou trabalhador compulsivo.

 

Além do acréscimo financeiro, outras coisas também podem aparecer em resposta a essa atitude.

 

Frustração, autocobrança, exaustão e, por fim, o burnout são frutos dessa realidade enfrentada por muitos trabalhadores.

 

Por outro lado, uma empresa que se preocupa com a saúde de seus colaboradores, promove a inserção de práticas saudáveis na rotina.

 

E quando falamos em saúde não é apenas a saúde física, com ginástica laboral e aquisição de mobiliário adequado.

 

Somando aos aspectos físicos, colocamos em pauta a saúde física e a saúde mental dos colaboradores.

 

Afinal de contas, se o brasileiro trabalha, em média, 40 horas por semana, nada mais justo que ele busque ali também sua felicidade.

 

A dedicação e o investimento de tanto tempo não podem se resumir em apenas uma causa.

 

Ganhar dinheiro e receber o salário ao final do mês não devem ser o único estímulo de um profissional.

 

A realização pessoal também entra na conta, e é fundamental que a organização esteja alinhada com os objetivos do trabalhador.

 

Sendo assim, inúmeras empresas têm contratado profissionais de saúde mental para fazer o acompanhamento de seus colaboradores.

 

E pensando em psicologia ativa, esses profissionais não apenas estão lá para resolver problemas e traumas.

 

Ao contrário, eles ajudam a empresa no processo de entender o que, de fato, move os seus colaboradores.

 

Portanto, o trabalho do psicólogo ganha uma dimensão ainda mais nobre, que é o de auxiliar na busca do propósito profissional.

 

Como é a atuação da psicologia positiva no mundo corporativo?

Engana-se quem pensa que apenas o trabalhador sai ganhando com a implementação de práticas saudáveis na empresa.

 

A própria organização beneficia-se – e muito – com a rotina mais humanizada disponível ao trabalhador.

Sendo assim, vamos falar de maneira separada como a psicologia positiva influencia em cada uma das partes.

 

Para o trabalhador

Primeiramente, vamos tratar de como a psicologia positiva afeta o profissional.

 

Compreender o seu propósito de vida proporciona a ele um engajamento maior em suas tarefas e atividades.

 

O resultado disso é traduzido em:

  • Maiores níveis de foco e concentração;
  • Autoestima elevada;
  • Proatividade;
  • Senso de colaboração com a equipe;
  • Responsabilidade para com a empresa.

 

A mudança na postura do trabalhador proporciona a ele mais facilidade em alcançar seus objetivos e conquistar seus sonhos.

 

O psicólogo pode contribuir para que o trabalhador reconheça seus pontos fortes, êxitos e talentos.

 

Para a empresa

Pensando agora na empresa, podemos afirmar que os investimentos na saúde do trabalhador geram mais comprometimento.

 

A liderança que trabalha a psicologia positiva de sua equipe verifica um engajamento maior do time em todos os projetos.

 

Desenvolver a psicologia positiva como um pilar da cultura organizacional é transformador para a experiência do profissional.

 

Sendo assim, os gestores podem constatar:

  • Maior produtividade individual e coletiva;
  • Incremento da cultura Ownership, interpretada como “sentimento de dono”;
  • Queda na rotatividade e pedidos de demissão de trabalhadores
  • Relacionamentos mais próximos, humanos, amistosos e duráveis entre liderança e liderados, e entre colaboradores.

 

A psicologia positiva permite que a empresa não perca talentos importantes que ela possui em seus quadros para concorrentes.

 

Para o psicólogo

Finalmente, podemos falar do próprio psicólogo que pretende atuar com a psicologia positiva como aliada.

 

Ao invés de focalizar seus esforços em apenas dirimir dores e resolver problemas, ele pode utilizá-la para incrementar seu trabalho.

 

Oferecendo uma abordagem distinta, a partir de um posicionamento atitudinal singular, ele pode se diferenciar de outros profissionais.

 

Ao utilizar a psicologia positiva como ferramenta no seu dia a dia na empresa, sua atuação pode de destacar com:

  • Intervenções individualizadas e atualizadas;
  • Dinâmicas de grupo;
  • Testes vocacionais e outras avaliações profissionais;
  • Palestras;
  • Treinamentos.

 

Assim, a psicologia positiva demonstra valorizar mais as competências e aptidões dos profissionais que suas inabilidades e fraquezas.

 

Por meio dela, setores de RH e outros postos de gestão têm a oportunidade de investir no desenvolvimento humano.

 

Como visto, trabalhadores e empresas só têm a ganhar com a implementação da psicologia positiva na cultura organizacional. Para saber mais, acesse o vídeo completo no Youtube sobre o tema.

Sem Comentários

Poste um comentário