Growth Hacking: O que é e como aplicar no seu negócio?

Like Melon > Gestão  > Growth Hacking: O que é e como aplicar no seu negócio?
o que é growth hacking

Growth Hacking: O que é e como aplicar no seu negócio?

Você sabe o que é Growth Hacking? O que o futuro do marketing digital tem a ver com o Growth Hacking? Essa terminologia, nova para a grande parte dos empreendedores brasileiros, vem se tornando cada vez mais popular, mas poucos são os empresários que realmente dominam o significado desse termo.

 

Ao trabalhar com o Inbound Marketing, em detrimento do marketing tradicional, a sua empresa passa a compreender que o marketing digital é um sistema complexo (sistemas cíclicos, sendo que cada parte interfere no todo, de forma simultânea e conjunta) e não um sistema cartesiano (sistemas lineares, em que cada parte é analisada isoladamente para compor o todo). Após consolidar a cultura do Inbound Marketing no seu negócio, surge um novo questionamento: Como planejar o crescimento da minha marca, do meu negócio? Qual a metodologia de gestão empresarial compatível com as práticas inovadoras do Inbound Marketing? Acertou quem respondeu Growth Hacking!

 

Acompanhe o texto, a seguir, e descubra como a nova mentalidade de gestão empresarial proposta pelo Growth Hacking pode potencializar o desenvolvimento do seu negócio, fazendo com que sua marca se destaque, de forma única, em seu segmento de mercado.

 

O que é Growth Hacking?

De acordo com o criador do termo, Sean Ellis, Growth Hacking significa marketing orientado a experimentos, de forma científica e com análises quantitativas e qualitativas. Uma tradução literal do inglês para o português não estaria correta, uma vez que Growth Hacking é uma expressão idiomática, mas é necessário compreender o significado de cada palavra individualmente, com o intuito de conhecer o motivo da junção dessas duas palavras específicas: growth (crescimento); hack (brecha, espaço) e hacking (é a ação, o ato de encontrar brechas, espaços).

 

De alguma forma, como acontece com muitas pessoas, você deve ter associado essa expressão à palavra hacker, que no Brasil é utilizada para denominar aquele sujeito com um bom nível de conhecimento computacional e que se utiliza desse conhecimento para subverter sistemas computacionais de terceiros. É importante esclarecer que o Growth Hacker, sendo o profissional que trabalha com a aplicação do Growth Hacking, atua identificando brechas de crescimento empresarial, a partir do planejamento e da execução de experimentos, com o intuito de identificar áreas, cenários e contextos prósperos para o negócio. Dessa forma, o growth hacker não tem ligação nenhuma com o significado tradicional de hacker.

 

Para ser um bom growth hacker é necessário que o profissional tenha um alto grau de conhecimento não só de marketing, mas também de programação computacional, recursos humanos, design, engenharia de softwares. Deve conhecer sobre processos, metodologias, tecnologias e relacionamento humano para estar apto a perceber a brechas de crescimento que devem ser trabalhadas pela empresa. O growth hacker atua orientado por resultados, mas sem perder a criatividade para gerar soluções inovadoras.

 

É muito comum que as empresas tenham equipes de Growth Hacking compostas por profissionais com formações diferentes, habilidades diversas e capacidades complementares, objetivando assim que todos auxiliem durante o processo de identificação das hipóteses, aplicação dos experimentos e análise dos resultados voltados para o crescimento institucional. É um processo de testes e comprovação/reformulação das hipóteses (oportunidades de crescimento) levantadas.

 

 

Funil do Growth Hacking: Como aplicar na prática?

Por se tratar de um sistema complexo, a aplicação do Growth Hacking pode sofrer modificações de empresa para empresa, uma vez que os contextos são personalizados, únicos. Mas da mesma forma que o Inbound Marketing tem o funil de vendas, o Growth Hacking tem o seu próprio funil, o qual é composto pelas seguintes etapas:

 

Aquisição: atração e conquista do cliente

 

Ativação: a primeira boa experiência do cliente com a empresa

 

Retenção: fidelização do cliente por meio da satisfação

 

Receita: os clientes passam a gerar receita para a empresa

 

Recomendação: os clientes recomendam os seus serviços e/ou produtos para amigos.

As etapas do funil de vendas (Inbound Marketing) são estratificadas, ou pelo menos são encaradas dessa forma. Já o funil de Growth Hacking pode apresentar etapas unificadas, uma vez que, por exemplo, o cliente pode continuar gerando receita (adquirindo novos produtos e/ou serviços), ao mesmo tempo em que indica a marca para amigos e é atraído para uma nova oferta.

 

As etapas do funil de Growth Hacking são utilizadas para identificar em qual etapa desse funil encontra-se o problema que deve ser solucionado (oportunidade de crescimento, utilizando experimentos como ferramenta de decisão gerencial). Uma vez que o problema foi identificado, o Growth Hancking sugere que o passo a passo, a seguir, seja aplicado até que se alcance uma solução eficaz.

 

Brainstorm – Chuva de ideias, sem restrições

Nessa primeira etapa, todo o tipo de ideia para solucionar o problema é bem-vindo e necessário para que soluções criativas e inéditas surjam.

 

Identificação das melhores propostas

Nessa segunda etapa, selecione as melhores ideias levando em consideração a complexidade de execução, a probabilidade de sucesso e os resultados positivos que podem ser gerados.

 

Planejamento dos experimentos e definição da hipótese a ser trabalhada

Nessa fase é necessário ter bem claro a porcentagem de crescimento esperada assim como a oportunidade institucional a ser explorada. Defina também o custo do experimento, para evitar surpresas financeiras. Utilize a ciência Estatística a seu favor, para especificar todas as métricas pertinentes aos experimentos!

 

Realização dos experimentos

Nessa etapa, os testes são desenvolvidos, podendo ser de natureza A/B ou não. É importante saber que o objetivo de um experimento é comprovar ou refutar uma hipótese e não desenvolver a solução definitiva.

 

Análise dos resultados: confirmação ou refutação da hipótese levantada.

Nessa etapa as métricas estabelecidas devem ser analisadas, de forma quantitativa e qualitativa. É fundamental ter em mente que é uma boa análise dos resultados que determina uma solução de sucesso para o problema trabalhado.

 

Desenvolvimento e aplicação da solução encontrada ou retorno ao estágio necessário para aprimoramento dos resultados.

 

Growth Hacking e o Inbound Marketing

Ao analisar o Inbound Marketing (marketing de atração), é fácil perceber que ele é composto por diversas áreas de conhecimento, como: marketing criativo, programação e automação, comportamento do consumidor, testes, análise de dados, dentre outras. A interseção do conhecimento dessas áreas gera informações para estudos específicos, como por exemplo: ao unir os conhecimentos sobre comportamento do consumidor com os conhecimentos sobre programação e automação, têm-se as informações necessárias para desenvolver melhorias quanto às experiências do cliente com a sua marca.

 

O Growth Hacking seria a interseção de todas as áreas de conhecimento presentes na sua empresa, não só das áreas diretamente relacionadas ao Inbound Marketing, mas também daquelas relacionadas aos recursos humanos, financeira, administrativa, dentre outras. Por isso muito se fala em uma mudança de mentalidade institucional para que o Growth Hacking possa ser aplicado.

 

Conte com o auxílio da Like Melon para a aplicação correta e efetiva da mentalidade Growth Hacking em sua empresa. Seu negócio pode crescer vertiginosamente, só depende de suas escolhas!

Sem Comentários

Poste um comentário