Marketing e Psicologia: Entenda a relação

Like Melon > Inbound Marketing  > Marketing e Psicologia: Entenda a relação
marketing para psicólogos

Marketing e Psicologia: Entenda a relação

Apesar de parecer não terem nada a ver, marketing e psicologia são duas áreas complementares.

Juntos, marketing e psicologia podem trazer resultados impressionantes para profissionais de ambas as áreas.

 

A simbiose entre marketing e psicologia

Muita gente acredita que marketing e psicologia são duas áreas completamente diferentes.

É claro que cada uma delas possui um foco, e atua de maneira distinta uma da outra, em suas muitas matérias.

Porém, apesar das diferenças que carregam, marketing e psicologia também tem inúmeros pontos de convergência.

Entre eles, podemos listar:

  • Comportamento humano;
  • Hábitos de consumo;
  • Desejos e necessidades.

E essas são apenas algumas áreas que podemos citar em que vemos a prevalência tanto do marketing, quanto da psicologia.

Quando atuam conjuntamente, marketing e psicologia têm a função de compreender o ser humano e seus comportamentos.

Inclusive, em muitas grades curriculares e ementas de faculdades, marketing e psicologia atuam juntos.

A psicologia do consumidor, por exemplo, é uma das disciplinas dos cursos de comunicação social.

A faculdade de propaganda e marketing constantemente aborda temas da psicologia para falar sobre comportamento do consumidor.

É da psicologia a tarefa de entender como e por que o ser humano age de determinada maneira.

 

Da mesma forma, é dever do marketing compreender como reagimos quando expostos a uma publicidade, por exemplo.

Ambas as áreas coletam e interpretam dados do comportamento para formular as melhores perguntas.

Entre outros objetivos, essa análise ocorre para que se estabeleça o que entendemos como desejos e necessidades.

O marketing trabalha com essas informações para criar estratégias e campanhas mais assertivas.

Enquanto isso, com os fatores apresentados, a psicologia analisa os hábitos de consumo e comportamentos humanos.

 

Sendo assim, podemos estabelecer alguns critérios que são analisados pelos profissionais dessas áreas.

 

Alguns deles, podem ser:

  • O que faz as pessoas tomarem a decisão de comprar;
  • Quais os sentimentos e emoções que envolvem o processo de decisão;
  • Quais as percepções do público diante de ofertas de produtos e serviços.

Inicia-se, então, o estudo do comportamento humano diante da oferta de um produto ou serviço.

 

Marketing e psicologia: definições

“Marketing é a ciência e arte de explorar, criar e proporcionar valor para satisfazer necessidades de um público-alvo com rendibilidade.”

 

A frase é de autoria do economista Philip Kotler, conhecido como o pai do marketing.

Outro importante nome do marketing foi o professor Jerome McCarthy (1928-2015).

Foi McCarthy quem desenvolveu o conceito dos 4Ps: Produto, preço, praça e promoção, muito difundido por Kotler.

Por outro lado, a psicologia tem seus fundamentos na filosofia, com as investigações de Sócrates, Platão e Aristóteles.

O estudo e a compreensão da alma humana e seus desejos são o que motivou o surgimento da psicologia.

Se Kotler é tido como o pai do marketing, temos em Sigmund Freud o principal nome da psicologia.

Reconhecido como pai da psicanálise, uma das áreas da psicologia, Freud é o maior expoente dessa ciência.

 

E a busca por esse entendimento da alma humana, seus desejos e necessidades, é o que une marketing e psicologia.

 

Sendo assim, apesar de marketing e psicologia possuírem definições diferentes, percebemos o quanto têm em comum.

Portanto, é possível observar a atuação de uma ou de outra área para o benefício do agir profissional de ambas.

 

 

Marketing e psicologia na prática

Muitos psicólogos não têm a real dimensão da importância da união marketing e psicologia.

Essa junção pode contribuir positivamente com inúmeros fatores para o psicólogo.

Seja ele um profissional que atende em uma clínica ou consultório, que trabalhe no setor corporativo, ou ainda um autônomo.

 

Independentemente de como e onde atua, o marketing é fundamental para sua carreira.

Entre tantas outras funções, o marketing na psicologia tem o papel de:

  • Transmitir informação
  • Compartilhar conhecimento
  • Apresentar o trabalho do psicólogo ao público
  • Definir público-alvo e persona
  • Definir estratégias de atuação e campanhas
  • Captação de clientes e pacientes

Marketing e psicologia podem ser trabalhados em conjunto, com o objetivo de ajudar o trabalho do psicólogo.

O marketing não pode ser encarado pelos profissionais da psicologia como vilão, mas como um importante parceiro na carreira.

O próprio Conselho Federal de Psicologia (CFP) garante o marketing como instrumento legítimo de promoção.

Especialmente quando falamos em captação de clientes, que podem se tornar pacientes.

Nenhum trabalho, e profissão alguma se sustenta se não houver um planejamento financeiro para tal.

 

O marketing trabalha de mãos dadas também com o setor financeiro, a fim de garantir a sobrevivência de um negócio.

O desejo pelo crescimento de seu consultório, e a expansão do número de pacientes é genuíno.

O marketing ajuda o profissional na conquista de mais pacientes, e também a definir um preço justo por sessão.

Com a permissão dos atendimentos via internet, é interessante que o psicólogo fique atento às recomendações.

 

Portanto, é necessário que o profissional marque presença nas redes sociais e demais canais de comunicação virtual.

Desde que atuando de forma ética e responsável, marketing e psicologia devem ser usados para benefício de todos.

É importante também que mitos caiam por terra, e inverdades sejam desmascaradas.

Ainda hoje, muitos profissionais de saúde mental podem ter algum resquício de preconceito em relação ao marketing.

Agindo de maneira colaborativa e informativa, marketing e psicologia ajudam não só trabalhadores, bem como a toda a sociedade.

O psicólogo pode usar a internet, os meios digitais e as redes sociais para levar conteúdo informativo de qualidade.

 

Além disso, pode lançar mão de plataformas digitais para se conectar com seu público, e atender à crescente demanda de pacientes.

A partir do momento que você conhece seu público-alvo e sabe do que ele necessita, sua comunicação fica mais eficiente.

Esse é o primeiro passo para iniciar uma trajetória de crescimento e desenvolvimento profissional utilizando o marketing.

Adeque a linguagem que você utiliza, e as informações que você transmite, a quem te segue e se interessa pelos seus conteúdos.

 

Assim, você pode angariar novos pacientes, de forma legítima, rápida e exponencial.

Do contrário, você, como profissional autônomo, ou o negócio onde trabalha pode estar correndo sérios riscos.

O marketing é uma poderosa ferramenta para ajudar clínicas, consultórios e profissionais a se estabelecerem no mercado.

Saiba mais sobre marketing e psicologia e outros conteúdos. Cadastre-se em nosso site fique por dentro de todas as novidades.

 

Sem Comentários

Sorry, the comment form is closed at this time.