Marketing e Psicologia: 4 mitos sobre essa relação

Like Melon > Inbound Marketing  > Marketing e Psicologia: 4 mitos sobre essa relação
mitos do marketing digital

Marketing e Psicologia: 4 mitos sobre essa relação

Muitos profissionais de saúde mental temem usar ou desconhecem os benefícios proporcionados pela junção de marketing e psicologia.

Se você também tem dúvidas dos benefícios da combinação marketing e psicologia, fique ligado neste post!

 

Aumento da demanda durante a pandemia

Assim como para outros setores da economia, e para outras áreas da vida profissional, marketing e psicologia devem andar de mãos dadas. Quando usadas da maneira correta, marketing e psicologia podem colaborar tanto para os profissionais, quanto para os pacientes.

 

É notório o aumento da procura por profissionais de saúde mental durante a pandemia de Coronavírus. Seja para recuperar-se de algum acometimento, ou mesmo para manter a qualidade das emoções.

 

De acordo com uma pesquisa do instituto Ipsos, 53% dos brasileiros revelaram piora na qualidade da saúde mental durante a pandemia.

O estudo foi encomendado pelo Fórum Econômico Mundial, e analisou 30 países, incluindo o Brasil.

 

Já a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) identificou que houve um aumento de 82% no número de novos casos de transtornos mentais.

 

A importância da relação marketing e psicologia

Assim como outros profissionais que atuam no mercado de trabalho, psicólogos também necessitam compreender a importância do marketing em suas ações.

 

Se o marketing é uma excelente ferramenta que contribui com trabalhadores de diversos setores, por que não o dos psicólogos?

Marketing e psicologia podem se unir para colaborar com o trabalho do psicólogo, de uma clínica ou consultório.

 

É por meio do marketing que os profissionais podem mostrar seu serviço, sua atuação e seus métodos de trabalho. Mas, a relação marketing e psicologia é benéfica também para os pacientes e para o público em geral.

 

Uma das contribuições do marketing para a psicologia é divulgar conhecimento e ciência para o público.

Marketing e psicologia podem ser utilizados em benefício da ciência, levando informação de qualidade às pessoas.

 

Clínicas podem usar o marketing tanto como ferramenta de divulgação do trabalho, quanto para compartilhar conhecimento.

 

Marketing e Psicologia: 4 mitos sobre essa relação

Muita gente pode ficar com o pé atrás em relação à união marketing e psicologia, e isso pode ter diversos fatores.

Existem alguns motivos que podem fazer um profissional declinar da ideia de utilizar o marketing para psicologia.

Alguns desses fatores podem estar ligados a verdadeiros mitos, que inclusive, atrapalham o trabalho do psicólogo.

 

Vamos listar aqui alguns desses mitos que podem impedir a junção marketing e psicologia, e emperrar o seu trabalho.

Entre os principais, podemos citar quatro, que são:

  1. Psicólogo que faz marketing é antiético;
  2. Marketing é só para empresas;
  3. Eu não preciso fazer marketing para ter pacientes;
  4. Não tenho tempo para fazer marketing.

Qualquer psicólogo pode ter dúvidas se lança mão do marketing para divulgar seu trabalho ou não.

 

Se você é um desses profissionais, ou conhece alguém que pense assim, fique atento às informações a seguir.

 

Vamos detalhar neste post a importância do marketing e psicologia, desmistificando essa relação.

 

1 – Psicólogo que faz marketing é antiético

Além de perigosa, essa informação é falsa e totalmente descabida.

Bem como ocorre com outras profissões, a psicologia pode utilizar o marketing com ética e bom senso.

O próprio Conselho Federal de Psicologia (CFP) regulamenta o uso do marketing para a psicologia.

No artigo 38 do código de ética profissional do psicólogo, o CFP indica como deve ser feita a publicidade.

Nele, o Conselho orienta como os profissionais devem anunciar corretamente os serviços psicológicos.

 

Além disso, é importante que o próprio psicólogo compreenda quem é o seu público-alvo e conheça sua persona.

Desta maneira, ele poderá criar estratégias baseadas nela, e interagir com maior fluência e precisão.

Portanto, é falsa a afirmação de que lançar mão do marketing é uma atitude antiética do psicólogo.

 

2 – Marketing é só para empresas

A psicologia, assim como outras áreas do conhecimento, além de ciência é também um setor da economia.

E como qualquer outra área, deve ser tratada para além dos fatores científicos e sociais, como uma área que gera empregos.

 

É importante que todo profissional de psicologia e saúde mental tenha acesso às ferramentas de marketing.

Faça ele parte de uma empresa ou consultório, ou seja autônomo, marketing e psicologia vão ajudá-lo no dia-a-dia.

Sendo assim, marketing e psicologia têm tudo a ver, e só vêm para colaborar com o crescimento do profissional. Além de fazer prosperar o seu negócio, a junção marketing e psicologia pode contribuir no desenvolvimento do psicólogo.

 

3 – Eu não preciso fazer marketing para ter pacientes;

Um dos canais de comunicação e propagação mais eficientes para o seu negócio é o famoso boca-a-boca.

A indicação pessoal é uma das ferramentas mais poderosas para um profissional.

O testemunho de um paciente é extremamente positivo, e pode angariar resultados impressionantes.

Contudo, depender única e exclusivamente desse canal pode ser insustentável a longo prazo.

 

Seu paciente pode até conseguir atrair a atenção de familiares e amigos próximos, e assim indicar seu trabalho.

Entretanto, com o passar do tempo, você precisará de outros recursos para que as pessoas conheçam o seu trabalho.

E é justamente aí que entra a parceria marketing e psicologia, com ferramentas profissionais para este fim.

 

Estratégias e campanhas são desenhadas, a fim de que a informação correta chegue às pessoas certas.

A informação correta para a pessoa certa, aquela que está predisposta a recebê-la, faz parte de uma comunicação mais eficiente.

 

E você só conseguirá analisar e interpretar esses dados quando incluir o marketing no seu cotidiano profissional.

 

4 – Não tenho tempo para fazer marketing.

Na atualidade é quase impensável que um profissional não se comunique, independentemente da área de atuação.

 

Seja por meio de mídias digitais, redes sociais, ou anúncios publicitários, é fundamental que a comunicação se faça presente.

 

Talvez você não tenha fluência em tecnologia, ou sequer possui perfis em redes sociais.

Em primeiro lugar, você precisa saber se a falta de tempo é realmente uma verdade, ou apenas uma desculpa.

 

Uma análise sincera consigo mesmo é a chave para entender a real necessidade de promover sua marca.

Em meio a tanta informação, propagandas e anúncios publicitários, o marketing profissional é ainda mais necessário.

Você pode ser um daqueles que realmente não tem tempo para trabalhar o marketing e psicologia de sua clínica.

 

Se você é esse profissional, é importante que saiba que não existem fórmulas mágicas.

Todavia, existem estratégias simples e básicas que podem ser um passo importante nessa caminhada.

Entretanto, é fundamental que você reserve um tempo pequeno do seu dia para dedicar ao marketing.

Por exemplo: a criação de um único anúncio pode ser um diferencial para você ou para sua clínica. Você pode criar esse anúncio, e depois apenas pagar pelos cliques, e seguir acompanhando o seu desempenho.

 

Porém, assim como a psicologia, os resultados do marketing são frutos de um trabalho constante e perseverante.

Quanto mais engajado você estiver, melhores serão as respostas do marketing para sua clínica ou consultório.

 

Como não existe um passe de mágica, tampouco uma receita de bolo para o sucesso, você precisa de uma estratégia.

E ela vem a partir de uma metodologia que você pode utilizar para fazer unir marketing e psicologia da melhor forma.

 

Não faz ideia de como começar a implementar marketing e psicologia ao mesmo tempo?

Comece por entender quais são os seus objetivos, e então alinhe os seu propósito a eles.

Busque conhecer a si mesmo, e compreenda qual ou quais são os motivos que te fazem atuar profissionalmente.

 

Eis aí a melhor pergunta para dar início a uma trajetória que, acompanhada de estratégia, pode gerar respostas afirmativas.

 

Quer saber como fazer para unir marketing e psicologia? Então continue acompanhando os conteúdos do nosso blog e no Instagram da Psicóloga Adriana Carvalho.  

Sem Comentários

Sorry, the comment form is closed at this time.