Psicólogo: Saiba como criar sua persona

Like Melon > Inbound Marketing  > Psicólogo: Saiba como criar sua persona
persona marketing digital e psicologia

Quando você lê a palavra persona, o que vem na sua mente? Algo relacionado à personagem? Pessoa? Personificação? Bom, então pode ficar tranquilo(a), porque metade do caminho já está percorrido! Afinal, persona é uma representação do seu paciente/cliente ideal, é um personagem “meio fictício” que você irá criar baseado em comportamentos e informações reais de um paciente que você já tem ou busca ter em seu consultório. 

Com essa introdução já deu pra ver que não é um bicho de 7 cabeças, né? Agora vamos aprofundar no assunto e entender o processo para criar a sua persona ideal e todos os benefícios de aplicar essa estratégia no seu planejamento de marketing digital.

Vamos lá?

 

Você já ouviu falar de ICP?

Os psicólogos que já se aventuram no universo do marketing digital provavelmente esbarraram nessa sigla: ICP (Ideal Customer Profile) que em português, significa: perfil de cliente ideal.

O Ideal Customer Profile é uma descrição que resume o seu melhor cliente (ou paciente).  Aquele que tem identificação com você, com o seu serviço ou produto, é engajado, entende a importância do seu trabalho e suas necessidades são supridas com bons resultados.

Você já identificou qual é o seu ICP? Pense: que tipo de pessoa seria o seu cliente/paciente dos sonhos? Quem seria o melhor cliente/paciente para você vender/atender? Tenha em mente que o cliente ideal não é o cliente-modelo, aquele que você sonha em atender um dia, mas sim aquele que é engajado com a sua marca (sua marca pessoal) e tem as suas necessidades atendidas através do seu produto ou serviço hoje. Você pode até sonhar em ter um tipo de cliente/paciente em sua carteira, mas a sua clínica pode atendê-lo hoje? Pense nisso ao definir o ICP.

 

Mas, persona não é a mesma coisa?

A persona é uma representação do seu cliente ideal, de modo que a partir de uma rápida análise você possa identificar características comuns entre os seus potenciais clientes e assim personalizar sua comunicação com eles. Elas são baseadas em informações reais sobre as características demográficas e comportamentais dos seus pacientes/clientes, assim como uma criação de suas narrativas pessoais, motivações, desejos, desafios e preocupações. 

Portanto, persona é, como o nome já diz, um personagem criado para te ajudar a compreender melhor quem é o paciente/cliente e do que ele precisa. Definir essa persona facilitará o direcionamento dos temas para conteúdo, a escolha da linguagem, os canais de divulgação e a criação de um maior público semelhante.

Em outras palavras: você precisa criar uma persona para conhecer o perfil do seu cliente/paciente, para entregar o conteúdo certo no momento certo. Com ela você identifica e atrai pessoas qualificadas para tomar a decisão de contratar o seu serviço como psicólogo(a). Por exemplo, você atende crianças de 10 anos, porém quem compra não é a criança, é sim a mãe dela. Ou seja, a mãe é a sua persona. 

 

Persona e Público Alvo, qual é a diferença?

Esses conceitos sempre geram confusões, certamente porque possuem semelhanças. Afinal, as duas definições são criadas com o objetivo traçar estratégias de marketing de forma direcionada, com o objetivo de chegar até as pessoas que realmente necessitam dos seus serviços como psicólogo, que se identificam com o seu trabalho e que possuem potencial de se tornarem seus pacientes/clientes.  

Contudo, a grande diferença entre os conceitos de público alvo e persona é que o primeiro deles é muito amplo. Ao tratar um determinado segmento de pessoas como uma grande massa, seus hábitos, medos, desejos e problemas acabam sendo ignorados.

Tratar potenciais pacientes como apenas um alvo a ser atingido é um conceito que já está ultrapassado, e que faz parte do modelo de publicidade antigo. O conceito de persona se destaca por ser completo e retratar o consumidor ideal do seu serviço.

Vamos para o exemplo:

 

A definição de um público-alvo costuma ser feita da seguinte maneira:

“Empresários entre 30 e 40 anos. Trabalham no mercado financeiro e possuem uma renda mensal de aproximadamente R$8.500”

 

Já a definição de Persona é feita da seguinte forma: 

“Roberto, 36 anos, Formado em Economia. Gosta de viajar de moto nos finais de semana. Em outros momentos, também gosta de ler notícias sobre a bolsa de valores e fazer exercícios ao ar livre. Utiliza o Linkedin e Twitter diariamente para compartilhar conteúdos da sua área profissional. Com o acúmulo de tarefas no trabalho, ele sente que não consegue engajar a sua equipe e isso está aumentando o estresse no ambiente de trabalho. Por isso entende que a psicoterapia poderia auxiliá-lo no seu controle emocional. Seu grande desafio é manter a ansiedade de lado e conseguir se comunicar com clareza e ter a confiança dos colaboradores para entregar melhores resultados na empresa.

 

Como você deve ter notado, ao definir uma persona você dá uma atenção especial às suas dificuldades e, principalmente, em como você psicólogo(a) pode ajudá-la, focando suas estratégias na geração de valor para essa pessoa.

 

persona marketing digital para psicólogos

 

O que precisamos saber sobre a persona?

Para criar a sua persona, precisamos descobrir:

  • Quem é o seu potencial paciente/cliente? (características físicas e psicológicas do responsável pela contratação)
  • Que tipo de assunto sobre a sua área de atuação interessaria para ele?
  • Quais são as atividades mais comuns que ele realiza (tanto pessoalmente quanto profissionalmente)?
  • Qual seu nível de instrução? Quais seus desafios e obstáculos?
  • Que tipo de informações ele consome e em quais mídias?
  • Quais são seus objetivos?
  • Quais são seus hábitos, estilo de vida?
  • Como você pode ajudá-la?

 

Principais erros na criação de personas

 

1 – Criar muitas personas 

Imagine que você traçou 10 personas, cada uma de um jeito, sendo assim você terá mais de 1 forma para se comunicar, terá que criar temas diferentes de conteúdo pra cada tipo de persona, as postagens nas redes sociais vão aumentar, as campanhas de anúncio pago e fluxos de email marketing também…enfim, pode ser um trabalho exaustivo e, dependendo do budget (valor de investimento) que você definiu, até impossível. 

Por isso, o ideal é que — especialmente no começo de uma estratégia de marketing — você procure focar numa quantidade menor de personas. Isso facilitará o estabelecimento de boas práticas de conteúdo e, também, a definição de autoridade da sua marca na área que ela pertence.

 

2 – Eu acho…

Nenhuma estratégia de Marketing Digital pode ser feita com base em “achismos”. Com a quantidade de dados disponível para pesquisarmos e conseguirmos embasar hipóteses, definir estratégias com “eu acho” será um grande tiro no pé!

Concentre-se em entender os objetivos, os problemas e as dores da sua persona sem suposições ou julgamentos prévios. Assim, será possível ter mais concentração nos detalhes que são realmente relevantes e traçar uma definição real, que guiará uma performance de conteúdo certeira.

 

3 – Presos nos detalhes irrelevantes

Um dos principais objetivos da persona é identificar o melhor caminho para solucionar o problema dela. Dentro disso, existem muitos detalhes envolvidos, como gênero, ocupação, hobbies, renda mensal, e muito mais.

Essas grandes possibilidades de personalização e níveis de detalhes que temos na hora de criar uma persona podem causar certa distração. Cair facilmente na descrição de informações que não serão relevantes para o negócio é um erro bem comum. 

Um exemplo: você atende crianças autistas e sua persona é a mães dessas crianças. Será que faz mesmo diferença descrever qual é o estilo de música preferido da mãe que você pretende atingir, ou até mesmo como ela costuma se vestir no dia a dia? 

Da mesma maneira que, nesses casos, tais informações podem parecer irrelevantes, elas serão essenciais em outros. Por isso, mantenha o foco durante o processo de criação da persona e procure descrever aquelas características que realmente farão diferença para a sua estratégia de conteúdos. 

 

Conclusão

Você pode e deve ao longo do seu trabalho melhorar essa definição de persona, principalmente por você estar começando a entender os conceitos, é normal que seja necessário afinar isso conforme o tempo.

Lembre-se: feito é melhor que perfeito. Dê o primeiro passo, e não se preocupe em acertar tudo, se preocupe em fazer. Não importa qual ferramenta você vai usar, se será uma pesquisa nas redes sociais, se será um estudo de caso ou uma conversa com os seus amigos de profissão…o que importa é você sair do modo achismo e se pautar em dados para entender qual problema real você vai resolver.

Espero ter te ajudado com esse conteúdo sobre persona e fico à disposição para tirar suas dúvidas sobre o assunto. Beijos e até breve!

Psicóloga Adriana Carvalho Ferrarezi. 

 

 

 

Sem Comentários

Sorry, the comment form is closed at this time.